Anti-histamínico natural e soluções naturais para a alergia

folder_openCuidado pessoal
comment1 Comentário
anti-histamínico 2

Que anti-histamínico natural usar para a alergia primaveril?

Antes de falar dos anti-histamínicos naturais, começamos por falar da alergia.

Se o que lhe interessa é unicamente conhecer que anti-histamínico natural pode utilizar nesta primavera, poderá passar diretamente à terceira secção deste artigo, ainda que lê-lo na totalidade pode ajudá-lo a entender o que está a suceder no seu corpo nestes dias e o papel que desempenham os anti-histamínicos naturais na luta contra os sintomas da alergia primaveril.

O que é a alergia?

A alergia é uma reação fisiológica exagerada fase a substâncias normalmente inofensivas para a maioria das pessoas. Quando falamos de alergia primaveril ou rinite alérgica, falamos de uma reação alérgica das membranas mucosas ao pólen.

Aproximadamente 1 em cada 3 Portugueses sofrem de algum tipo de alergia primaveril. Cada vez é mais frequente que estas alergias surjam, cada vez mais, em crianças mais jovens.  E este número continua a aumentar.

De facto, o termo primaveril cada vez é menos preciso, visto que os sintomas iniciais podem manifestar-se durante o inverno e estender-se até ao verão. As primeiras árvores, como a bétula podem começar a produzir pólen em fevereiro, enquanto que a família das gramíneas produzem, principalmente, o seu pólen durante os meses de verão.

Como reage o organismo e porque se produz a alergia?

Quando o pólen entra em contato com as membranas mucosas, o sistema imunológico reage de forma exagerada face a este suposto inimigo, gerando grandes quantidades de anticorpos para atacar e destruí-lo.

Numa reação alérgica, a libertação de anticorpos ativa células defensivas, denominadas mastócitos. Estas libertam, além de outras substâncias, histamina, uma substância muito inflamatória que é a responsável pela sintomatologia típica de uma reação alérgica.

Sabia que a histamina é a razão pela qual um produto natural contra a alergia se denomina anti-histamínico natural?

O corpo liberta histamina, sempre que previamente já tenha entrado em contato com o agente estranho e depois desta primeira exposição aparecem os sintomas típicos:

  • Rinite, espirros, secreção de muco e gotejamento nasal quando se afeta a mucosa nasal.
  • Conjuntivite (olhos vermelhos, chorosos e com ardor) quando se afeta a mucosa dos olhos.
  • Prurido, dermatite e urticária quando afeta a pele.
  • Tosse, edemas e asma quando se afeta a mucosa respiratória.

Que anti-histamínico natural existe para a alergia?

A alergia estacional trata-se, geralmente, com anti-histamínicos, um dos medicamentos mais receitados no mundo. No entanto, também existem substâncias naturais com um marcado efeito anti-histamínico natural que, sem dúvida, podem converter-se em grandes aliados contra a alergia estacional.

Nota: O primeiro que devemos ter em conta, é que se existe um tratamento médico para uma alergia grave e/ou asma severa, este tratamento não deve interromper-se sem o consentimento e a supervisão do médico.

Enumeramos e descrevemos as soluções naturais contra a alergia estacional para que possa eleger o anti-histamínico natural que mais lhe convenha.

Vitamina C

A vitamina C desempenha um papel importante como solução natural para afeções do sistema respiratório, visto que ajuda face às condições inflamatórias associadas a constipações, febres, gripe e alergias.

Qual é a função da Vitamina C como anti-histamínico natural? 

Nos estudos, os pacientes com baixos níveis plasmáticos desta vitamina sofrem de maiores níveis de histamina, enquanto que a suplementação com vitamina C é capaz de reduzir os níveis desta.

A vitamina C aumenta a diamina oxidasa, que metaboliza o excesso de histamina, reduzindo a sua quantidade no sangue, o que faz da vitamina C uma dos anti-histamínicos mais eficazes.

A suplementação com vitamina C mostra-se eficaz para reduzir a inflamação brônquica que produz a asma, assim como a rinite e conjuntivite caraterísticas da alergia primaveril.

Por estar livre de efeitos secundários e não ser tóxica, é uma solução segura para tratar a congestão nasal e outros sintomas desagradáveis de alergias estacionais, como a bronco-constrição que gera sintomas asmáticos.

  • Dose: Para obter os seus efeitos de anti-histamínico natural é necessário tomar entre 1 e 2gr/dia. Inclusivamente, os especialistas sugerem tomar 2g por dia, repartidas em várias tomas para obter os melhores resultados de anti-histamínicos.
Nota:

Entre as distintas formas de apresentação da vitamina C, também conhecida como ácido ascórbico (tanto em pó como em comprimidos), ascorbatos minerais (por exemplo, ascorbato cálcico), fórmulas acompanhadas de bioflavonóides. A forma de ascorbato de cálcio (forma não ácida) juntamente com os bioflavonóides é a que garante uma melhor e mais rápida absorção, assim como uma maior permanência no organismo.

Além disso, os bioflavonóides (pigmentos vegetais solúveis em água que se encontram frequentemente nas frutas e verduras), potenciam os efeitos anti-histamínicos da Vitamina C.

Cúrcuma

A  Cúrcuma (Curcuma longa) é uma espécie comum utilizada nas preparações culinárias nos países do sul e este da Ásia. No entanto, a cúrcuma também é conhecida pelas suas múltiplas propriedades de recuperação da saúde, e utilizou-se no tratamento de várias doenças, incluindo vários transtornos respiratórios.

O componente ativo da cúrcuma é a curcumina, um fitoquímico polifenólico, com propriedades anti-inflamatórias, antisséticas, anti-tumorais e antioxidantes. 

A curcumina tem uma atividade antialérgica provada em diversos estudos científicos. Descobriu-se que a curcumina exerce diversos efeitos imunomoduladores, entre os quais se destaca a diminuição da liberação de histamina e outros marcadores inflamatórios, além de uma maior produção de IL-10 (uma potente substância antialérgica e antinflamatórias).

Por todo isto, a curcumina alivia os sintomas e a congestão nasal em pacientes que sofrem de alergia estacional

Dose: De 450 a 900 mg ao dia, de extrato de raiz (estandardizado como mínimo a 95% de curcuminóides)

Helicriso (Helichrysum italicum)

Vários estudos demonstram a eficácia do helicriso na sua utilização face à asma, rinite alérgicas, alergia estacional e outras alergias (dermatite). Graças, em certa medida, ao seu conteúdo em flavonóides (principalmente quercetol) que estimula a desintoxicação hepática da histamina e possui ação anti-inflamatória.

Dose: De 200 a 600 mg de extrato seco ao dia.

Groselheiro Negro (Ribes Nigrum)

O groselheiro negro  pode ser uma solução para os olhos vermelhos, chorosos e para o ardor, próprio da alergia estacional graças à sua capacidade de regular o sistema imunológico e atuar positivamente sobre as vias respiratórias.

Os princípios ativos do Ribes Nigrum (Grosellero negro), incluindo proantocianidinas e terpenóides, conferem-lhe ações antialérgica, anti-inflamatória e antirreumática.

Dose: De 250 a 500 mg de extrato seco ao dia.

Conceito de sinergia entre duas opções de anti-histamínico natural:

Ao combinar duas plantas com princípios ativos que se complementam e potenciam entre eles (como o caso do Helicriso + Groselheiro Negro), aumentam-se os benefícios, reduzindo a dose necessária de cada uma delas por separado. Em suma: A união faz a força!

Spirulina

A Spirulina ( Arthrospira platensis )  é uma alga de água doce de cor azul-esverdeado muito nutritiva e biológica que se produz e comercializa como suplemento dietético graças à sua multiplicidade de efeitos benéficos para a saúde, entre os quais se destaca a sua capacidade para modular o sistema imunitário assim como propriedades hipolipidémicas, hipoglicémicas e anti-hipertensivas.

Demonstrou-se que a spirulina é um bom anti-histamínico natural, visto que melhora significativamente os sintomas, como secreção nasal, espirros, congestão nasal e comichão próprios da alergia, graças à sua capacidade de deter a libertação de histamina que causa estes sintomas. 

Dose: 2000 mg/dia de spirulina

Metil sulfonil metano (MSM)

O metilsulfonilmetano (MSM)  é um composto organossulfúrico de origem natural utilizado como suplemento dietético para uma variedade de benefícios para a saúde reportados.

Entre as suas propriedades terapêuticas, destacam-se as suas capacidades antioxidantes, os seus efeitos anti-inflamatórios, a sua atividade anticolinesterase e a sua capacidade para travar a libertação de histamina dos mastócitos.

Segundo as conclusões de vários estudos, o MSM revelou ser um bom anti-histamínico natural visto que produz um alívio significativo dos sintomas de rinite alérgica sem os efeitos secundários associados com a medicação de atenção standard.

O MSM diminuiu significativamente os sintomas mais comuns da alergia como obstrução nasal, mucosidade, olhos e nariz chorosos ou com comichão, espirros e tosse.

Dose: De 450 a 3000mg de MSM ao dia, sempre com as refeições

  • A dose mais comum foi de 1350 mg/dia se bem que os estudos demostraram que doses maiores (3 g de MSM) poderiam ser utilizadas de forma totalmente segura face a uma agudização do quadro alérgico.

Probióticos: uma alternativa

O uso de probióticos na alergia estacional, é uma perspetiva inovadora que está a demonstrar resultados esperançosos que posicionam os probióticos como um anti-histamínico natural, útil e seguro para a prevenção e tratamento das alergias.

O mecanismo de ação dos probióticos como estratégia antialérgica seria a capacidade dos probióticos de interagir com o sistema imunitário do hóspede, reduzindo a sua hiperatividade, modificando com isso, o curso natural da doença alérgica.

  • A Organização Mundial de Saúde (OMS)  define os probióticos como “microrganismos vivos que, quando se administram em quantidades adequadas, conferem uma saúde benéfica”.

Neste sentido o uso de uma fórmula com probióticos, prebióticos (alimento dos probióticos) e glutamina (um aminoácido essencial na saúde das mucosas), estaria totalmente justificada como parte das soluções naturais contra a alergia estacional.

Redigido por Antonio Valenzuela

Antonio Valenzuela é fisioterapeuta especialista em psiconeuroimunologia clinica, fitoterapia e nutrição.
Antonio é professor, conferencista e divulgador sobre um estilo de vida saudável. Colabora com o Green Club aportando informação profissional, atual e comprovada sobre diversos temas relacionados com a saúde e o bem-estar.

As informações contidas neste site são meramente informativas e não devem substituir as recomendações dos profissionais de saúde.
Além disso, os suplementos alimentares não devem ser utilizados como substitutos de uma dieta variada e equilibrada, em conjunto com um estilo de vida saudável.

Visite a nossa loja para mais informações.

FONTES DO ARTIGO Anti-histamínico natural e soluções naturais para a alergia:
  1. Kulka, Marianna. (2009). The Potential of Natural Products as Effective Treatments for Allergic Inflammation: Implications for Allergic Rhinitis. Current topics in medicinal chemistry. 9. 10.2174/156802609789941898.
  2. Stacy M.Thornhill , Ann-Marie Kelly. Natural Treatment of Perennial Allergic Rhinitis. Altern Med Rev 2000;5(5)448-454
  3. Carr AC, Maggini S. Vitamin C and Immune Function. Nutrients. 2017;9(11):1211.
  4. Yazdani and Conti. Relationship between Vitamin C, Mast Cells and Inflammation. J Nutr Food Sci 2016, 6:1
  5. Kawai et al. Flavonoids and related compounds as anti-allergic substances. Allergol Int 2007; 56 (2)113-23.
  6. Wu S, Xiao D. Effect of curcumin on nasal symptoms and airflow in patients with perennial allergic rhinitis. Ann Allergy Asthma Immunol. 2016 Dec;117(6):697-702.e1.
  7. Kurup VP, Barrios CS. Immunomodulatory effects of curcumin in allergy. Mol Nutr Food Res. 2008 Sep;52(9):1031-9.
  8. Dejima K, et al. Effects of polysaccharide derived from black currant on relieving clinical symptoms of  Japanese cedar pollinosis: a randomized double-blind, placebo-controlled trial.Biosci Biotechnol Biochem 2007;71:3019
  9. Ziment I, Tashkin DP. Alternative medicine for allergy and asthma. J Allergy ClinImmunol 2000;106:603
  10. Mao TK, Van de Water J, Gershwi ME (2005) Effects of a spirulina-based dietary supplement on cytokine production from allergic rhinitis patients. J Med Food 8(1):27–30
  11. Cingi C  et al. The effects of spirulina on allergic rhinitis.Eur Arch Otorhinolaryngol. 2008 Oct;265(10):1219-23.
OUTRAS FONTES DO ARTIGO Anti-histamínico natural e soluções naturais para a alergia:
  1. Hewlings S, Kalman DS. Evaluating the Impacts of Methylsulfonylmethane on Allergic Rhinitis After a Standard Allergen Challenge: Randomized Double-Blind Exploratory Study. JMIR Res Protoc. 2018;7(11):e11139.
  2. Yang G, Liu ZQ, Yang PC. Treatment of allergic rhinitis with probiotics: an alternative approach. N Am J Med Sci. 2013;5(8):465–468.
  3. Spacova I, Ceuppens JL, Seys SF, Petrova MI, Lebeer S. Probiotics against airway allergy: host factors to consider. Dis Model Mech. 2018;11(7):dmm034314. Published 2018 Jul 20.
  4. Rao R, Samak G. Role of Glutamine in Protection of Intestinal Epithelial Tight Junctions. J Epithel Biol Pharmacol. 2012;5(Suppl 1-M7):47–54.
Tags: ,

Notícias Relacionadas

1 Comentário. Leave new

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Menu